Páginas

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Anotações da Exposição de Filipenses 2:5-11, Sermão nº 8

Por

Pr. Silas Roberto Nogueira


Texto: Filipenses 2:5-11

Tende em vós este sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não julgou que o ser igual a Deus fosse coisa de que não devesse abrir mão, mas esvaziou-se, tomando a forma de servo, feito semelhante aos homens; e sendo reconhecido como homem, humilhou-se, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Por isso também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu o nome que é sobre todo o nome, para que em o nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, na terra e debaixo da terra, toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor para glória de Deus Pai.

INTRODUÇÃO

Faça como o mestre, uma brincadeira de criança, que os adultos jamais deveriam ter deixado de lado. O problema do cristianismo moderno é que Ele não se parece com Cristo. Cristo é uma vaga lembrança para o cristianismo moderno. Cristianismo dessemelhante à Cristo aberração. Cristão quer dizer alguém que segue a Cristo, alguém que se parece com Cristo em todos os sentidos. Essa é a exortação de Paulo aqui - sejam como Ele, v.5. A palavra “sentimento” (ARA/ARC/VIBB) também traduzida por “atitude” (NVI) refere-se a uma disposição mental que governa a vida, as ações/reações e emoções; é uma ordem (imperativo) para o desenvolvimento de um hábito (presente) e é uma responsabilidade pessoa (voz ativa) que envolve a todos os membros da comunidade (plural).

1) SEU ALTRUÍSMO, v.6

Cristo deixou a eternidade, onde recebia o eterno amor e honra do Pai e do Espírito Santo, louvor e adoração dos anjos para assumir a forma humana, na qual seria odiado, desonrado e hostilizado e violentamente morto pelos homens que Ele criou, os quais Ele amou e por eles decidiu dar a Sua vida. Ele não pensou em si, mas em nós, Isaías 53:1-11; Jo.3:16;

Ilustração: declarou Matthew Henry que “A primeira lição na escola de Cristo é a abnegação”.

· Devemos deixar de pensar em nós mesmos, e pensar no outro. (2:4).

· Olhe para o lado, interceda; estenda a sua mão.

· Enquanto pensamos nos outros, Ele cuida e nós.

2) SUA HUMILDADE, v.7

Deus manifesta-se em três pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo. Possuem a mesma substância, são iguais em atributos, glória e honra. O esvaziamento de Cristo tem a ver com o fato de que ao assumir uma forma humana Ele decidiu não fazer uso independente de qualquer dos Seus atributos divinos e ainda sujeitar-Se ao Pai. Cristo não se esvaziou de Sua deidade (Cl 2.9), mas embora Deus, assumiu a forma de servo. Tal atitude é a essência do cristianismo verdadeiro.

Ilustração: o puritano Richard Sibbes declarou: “O auto-esvaziamento prepara o transbordamento espiritual”.

· Devemos nos humilhar perante Deus (Tg.4:10;1 Pe.5:6)

· Pensar de nós mesmo com moderação (Rom.12:3)

· Deus “resiste” aos soberbos, mas dá graça aos humildes (1 Pe.5:5,6; Is. 66:2)

3) SEU SACRIFICIO, v.8

Quando em forma de homem, ofereceu a Sua vida obediente ao propósito salvífico do Pai na morte de cruz. A cruz não foi um acidente, mas era o propósito do Pai desde o princípio. Todas as promessas da vinda do Messias indicam claramente a sua morte, Gn.3:15, Sl.22:1; Is.53. Marcos 10:45 diz que o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos. O cristão verdadeiro é aquele que dá a Sua vida, sabendo que não pode retê-la.

Frank Farley declarou que “grande parte de nosso cristianismo atual está encharcado de sentimentos, mas desprovido de sacrifícios”. C. T. Studd declara o que deve permear o nosso pensamento: “se Jesus Cristo é Deus e morreu por mim, então nenhum sacrifício por ele pode ser grande demais para mim”.

· Devemos nos sacrificar uns pelos outros, seguindo o exemplo de Cristo.

· Mortificando a nossa carne (cruz) na busca de servir ao outro.

· Cristo deu-nos o exemplo – devemos seguir as suas pegadas.

vv.9-11. Os caminhos de Deus não são os nossos. O caminho do homem para o sucesso inclui pensar em si só, na arrogância e soberba e jamais inclui sacrifício, mas o final é a destruição. O caminho de Deus inclui essas três coisas, mas depois delas a honra eterna. Essas três atitudes são a essência do cristianismo, se estão presentes em nós, estamos imitando o Mestre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário